quinta-feira, 11 de abril de 2013

Eu Poeta



Queria ser poeta, escrever versos ligeiros,
versos faceiros, que encantassem até mesmo os forasteiros,
Mas não sabia e pouco fazia,
Algo me impedia.

Ah, como eu queria, mas algo me impedia.
Fui apresentada a Oswald e Manuel Bandeira, quanta alegria.
E agora algo me dizia, avante, vais guria, ser poeta.
Fui ser, mas com Bandeira e Oswald.

Escrevia e nem relia, muito menos refletia.
Purismo? Nem o fazia, fragmentados? Assim poderia.
E com o dia a dia, meus versos escrevia.

Fui ser poeta, e assim sendo, aventurei-me.
E entre essas minhas aventuranças, descobri que o verdadeiro poeta, é aquele que deixa o coração falar.


Fernanda Ferreira Lima
Aluna de Letras - Português/Inglês em 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário